ESTUDOS BIBLICOS







Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas



sexta-feira, setembro 30, 2011

Aflição por causa do pecado



Pergunta:

 "Estou aflito por causa do pecado. Esta é uma carta ao Pai celestial. Não posso enviá-la a Deus, mas sei que Ele usa pessoas para nos orientar. Por isso, mando-a para vocês:
Pai, meu maior desejo é ser amado por Ti e não ser rejeitado. Eu gostaria muito de ter um relacionamento genuíno contigo... Sinto por todo o tempo perdido em que não entendi corretamente a Tua vontade, em que fui obstinado e até fugi de Ti... Será que, agora, estou chegando muito tarde? Tenho a impressão de que há uma muralha entre mim e Ti e sei que eu mesmo sou culpado por ela existir... Por favor, Jesus, permite que não seja muito tarde."

Resposta: Como as afirmações humanas nunca são totalmente confiáveis, vamos citar inicialmente algumas respostas retiradas da própria Palavra de Deus:
  1. "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (Jo 3.16).


2."Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo" (Ap 3.20).

3. "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 Jo 1.9).

4. "Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira" (Rm 5.9).

5. "No qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça" (Ef 1.7).

6. "Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim" (Jo 10.14).

7. "De longe se me deixou ver o Senhor, dizendo: Com amor eterno eu te amei; por isso, com benignidade te atraí" (Jr 31.3).

Poderíamos lembrar muitas outras passagens bíblicas, mas é importante que você pense bem a respeito das que citamos. Realmente há uma muralha entre Deus e você e o nome dela é pecado. Deus, entretanto, enviou Seu Filho amado a este mundo para derrubá-la! Da parte dEle, portanto, tudo já foi feito! Sua parte é crer de todo o coração nesse maravilhoso fato! Seus anseios serão satisfeitos se você fizer o que está dito nos itens 2 e 3. Na prática, isso significa: ajoelhe-se em seu quarto e peça ao Senhor Jesus para entrar em seu coração, para habitar nele e tomar nas mãos dEle o leme da sua vida. Confesse a Ele todos os pecados de que tiver consciência e peça-Lhe perdão e purificação através do Seu precioso sangue. A seguir, leia mais uma vez os itens de 4 a 7, agradecendo ao Senhor Jesus de todo o coração porque Ele o comprou e redimiu, de modo que, como filho de Deus, você poderá viver com alegria.
Se o Diabo vier e quiser colocar em dúvida o perdão obtido, insinuando que você perdeu a salvação porque era somente um "religioso" e se afastou do Senhor, resista-lhe. Como? Baseando-se na Palavra de Deus! É importantíssimo que você se firme na fé sobre a Palavra de Deus, e não em seus sentimentos. Esses podem variar entre o júbilo extremo e a tristeza mortal, prejudicando a vida espiritual. As promessas de Deus, porém, são eternamente válidas, e nelas sua fé pode repousar segura!

 (Texto de Elsbeth Vetsch)

quinta-feira, setembro 29, 2011

A ROCHA


“Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração” (Hebreus 3:15).

Um homem dormia à noite na sua casa no campo quando, de repente, a
casa toda se encheu de luz e o Senhor apareceu. O Senhor disse ao
homem que Ele tinha um trabalho para ele, e lhe mostrou uma rocha
enorme perto da sua casa. O Senhor explicou que o homem deveria
empurrar a rocha com toda sua força.

Cedo de manhã o homem começou a fazer isso. Ele continuou dia após
dia. Por meses o homem se esforçou do amanhecer até o por do sol. Com
seus ombros empurrava a superfície da rocha enorme e fria. Mas a
rocha não saia do canto.

Cada noite o homem retornava a sua casa, cansado, músculos doendo e
se sentindo derrotado por não ter conseguido mover a grande rocha.

Vendo que o homem estava mostrando sinais de desistir, O Maligno
começou a colocar pensamentos negativos na cabeça dele. De repente o
homem se achou pensando "Você está tentando ha muitos meses mover
essa rocha e nunca conseguiu nada. Para que você está se desgastando?
Isso aí não dará resultado nenhum."

Mais tarde o homem começou a duvidar assim "Será que Deus queria que
eu continuasse esse tempo todo? Ele só disse para eu empurrar a
rocha, ele não disse por quanto tempo. Já faz vários meses que estou
empurrando, talvez eu posso desistir agora. Pelo menos, eu não
preciso empurrar o dia todo e com tanta força. Eu posso me dedicar
uma parte do dia a este trabalho e passar o resto fazendo outras
coisas."

Ele decidiu fazer isso mesmo, mas depois ele chegou a pensar que
seria bom orar ao Senhor sobre o caso.

"Senhor," ele orou, "eu trabalhei duro e por muito tempo no serviço
que o Senhor me deu. Eu dei toda minha força para conseguir o que o
Senhor queria. Mas, depois desse tempo todo, ainda não consegui mover
aquela rocha nenhum centímetro. O que está errado? Por que eu estou
sendo derrotado?"

Para a surpresa dele, o Senhor respondeu com compaixão. "Meu amigo,
quando eu lhe pedi para me servir e você aceitou, eu lhe disse que
sua tarefa era de empurrar aquela rocha com toda sua força, o que
você fez até agora. Em nenhum momento eu disse que eu esperava que
você movesse a rocha. Sua tarefa era de empurrar. E agora você chega
para mim pensando que fracassou. Mas, será que foi assim, mesmo?"

"Olhe para você mesmo," disse o Senhor. "Seus braços estão fortes e
musculosos. Suas costas agora estão bem desenvolvidas e vigorosas.
Suas pernas estão duras e robustas; suas mãos firmes. Enfrentando a
resistência você cresceu muito e agora suas habilidades ultrapassam
em muito o que você era antes.

Mas, você ainda não moveu a rocha. Porém, essa não era a sua
tarefa, e sim ser obediente e empurrar com toda sua força. Isso você
fez, e fez bem. Ao contrário de ser um fracasso você foi bem sucedido
e venceu. Eu apenas queria que você exercitasse sua fé e confiasse na
minha sabedoria. Isso você fez. "Eu, meu filho, agora vou mover a
rocha."

Às vezes quando ouvimos uma palavra de Deus queremos usar nosso
próprio raciocínio para decidir o que Ele quer, quando, o que Deus
realmente quer é apenas uma simples obediência e fé nEle. Com
certeza, devemos ter a fé que pode mover montanhas, mas lembrar ainda
que quem de fato move as montanhas é Deus.
 (Autor Desconhecido)

terça-feira, setembro 27, 2011

NOSSA FALA DIZ QUEM SOMOS



 Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem.Efésios 4:29

 Há alguns anos, um universitário veio conversar comigo sobre seu pai. Ele disse: “Se você passasse um tempo em nossa casa, não reconheceria meu pai.
Quando ele fala, constantemente nos denigre. Minha mãe está uma pilha de nervos por causa da maneira como ele fala com todos nós.”

Esta história não é uma exceção. Alguns de nós nos orgulhamos de falar a verdade, mas não consideramos que Paulo ordenou que falássemos a verdade em amor (Efésios 4:15). Com muita frequência, não esperamos a hora certa para falar. Um marido chega em casa e suas primeiras palavras são: “Este lugar está uma bagunça. O que você fez o dia todo?”. Uma esposa recebe seu marido com as palavras: “Onde você esteve? Você resolveu aquele problema do qual falei esta manhã?”.
Em casa e no trabalho, precisamos aprender a falar a verdade em amor e a dizer apenas “o que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem.” Devemos perguntar a nós mesmos: “Preciso realmente dizer o que estou prestes a dizer? Eu deveria falar isso agora? Isto edificará os outros?” Precisamos pedir ao Espírito Santo que guarde nossa língua e nos ajude a conversar uns com os outros com amor.

Ore

“Coloca, Senhor, uma guarda à minha boca; vigia a porta de meus lábios” (Salmo 141:3). E ajuda-me a dizer apenas palavras que edifiquem, animem e confortem as pessoas ao meu redor. Amém.

Pense

Uma única palavra pode estragar o nosso dia, ou nos dar mais alegria de viver.

Estranhamos as Coisas Divinas



Escrevi-lhe as grandezas da minha lei, porém essas são estimadas como coisa estranha. Oséias  8:12


A mensagem pregada pelo profeta Oséias é profunda e dolorida. Apesar do amor do Senhor pelo Seu povo, a fidelidade ao Senhor foi abandonada. Em seu lugar, o povo se prostituiu amando outros deuses. “Escrevi para eles as grandezas da Minha lei; mas isso é para eles como coisa estranha” (Oséias 8:12).

Nossos púlpitos, seja nos templos ou na televisão, descobriram o fascínio da teologia da autoajuda. Os autores mais citados são os escritores dos bestsellers, de preferência os importados. “As Sete Leis do Vitorioso”. “Os Oito Hábitos dos Prósperos”. “O Caminho da Personalidade Campeã”. De vez em quando, como que com vergonha, alguém mostra que a Bíblia também ensina isso...”

 “Por falta de visão, de conhecimento, Meu povo morre”. Por falta de Bíblia, a cristandade vem de desfigurando. Por falta de humildade espiritual, vamos adquirindo autossuficiência e arrogância religiosa. A Bíblia, que o Senhor inspirou e produziu para nós, é realmente a dieta integral de que temos necessidade. Quando a provamos, entretanto, seu sabor nos parece “coisa estranha”. Por que? Porque estamos ficando encharcados com os sabores apimentados e super temperados dos manjares idolátricos do mundo. A nutrição simples e saudável da Bíblia perdeu seu atrativo. É tempo de denunciar a insalubridade de nossa dieta. É tempo de não mais estranhar as coisas que o Senhor, amorosamente, nos preparou.

(Texto de Pr.  Olavo Feijó)

CAMINHOS E FRUTO


Um principio básico é que uma árvore nunca produz fruto para consumo
próprio. Eles estão sempre lá na estação certa, prontos para serem
colhidos. São frutos que nascem e crescem na Palavra, como cita o
Salmo primeiro.

"Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual
dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto
fizer prosperará".

Logo entenderemos que este "prosperará" é no mundo espiritual. A
igreja avançará e o propósito do Senhor se cumprirá, e será da forma
Dele e para Ele.

Faço um convite para observarmos não somente os frutos produzidos por
outrem, mas os nossos próprios. Será que temos produzido amor,
alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão,
domínio próprio? Pelo menos um dos nove citados em Gálatas 5:22?

Por seus frutos os conhecereis...
Quero enfatizar que existe um chamado falso no mundo, um chamado à
porta larga de caminho espaçoso, um chamado de homens que conduzem ao
próprio.

Façamos uma analogia entre dois homens com chamados distintos.

Abraão e Ló. Gênesis 13.

Abraão foi chamado por Deus, para sair de sua parentela e ir para um
lugar que Deus mostraria. Deus chama Abraão e Abraão chama Ló.

Ló tinha um chamado de Abraão e não de Deus. Podemos ver a diferença
entre um e outro em seus frutos. Quando vem a crise somente os frutos
verdadeiros são aprovados.

A crise chegou juntamente a Abraão e Ló.

Uma contenda entre pastores por espaço poderia ser facilmente
resolvida se fosse um povo somente, mas eram dois povos; não existia
uma unidade, mas dois chamados distintos.

Abraão escolhe a Fé; Ló o mundo.

Acontece com freqüência em nossas igrejas. Muitos tropeçam e retornam
ao mundo. Mas esta prova serve apenas para mostrar a inclinação de
tal coração. O mundo estava no coração e teria que ser alcançado de
qualquer forma. O conflito foi somente a desculpa.

O homem de fé pode sempre deixar o homem natural fazer a primeira
escolha, pois sabe que para onde ele for a bênção irá junto. “Sê tu
uma benção!”

O homem de fé sabe que a diferença é a presença constante de Deus em
sua vida.

Ló escolhe a campina.

Quão natural é a lei de "Gerson" em nosso meio, sempre querendo levar
vantagem em tudo. O coração inclinado para o mundo leva-nos a
valorizar as coisas do mundo.

Ló estende suas tendas até Sodoma. Distancia-se do chamado para
atender o deus do século presente. Chega a se assentar às portas da
cidade, um lugar de honra. Conseguiu posição de destaque entre os
filhos da iniqüidade.

Hoje podemos ler em Hebreus 11, destinado aos heróis da fé: "Pela fé
Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de
receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia". Mas não lemos
em lugar algum "pela fé Ló se assentou na porta da cidade".
Quantos em busca de posições de destaque, aclamados por homens, são
desprezados pelo nosso Senhor!

Por seus frutos os conhecereis...

Que possamos refletir sobre os caminhos que temos trilhado,
verificando os frutos, frutos que só se encontram no verdadeiro
Caminho. Por onde tem caminhado? Como está o seu fruto?

(Texto de Dorian Anderson Soutto )

sexta-feira, setembro 23, 2011

Jesus disse...


Jesus dizia a todos: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a
si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me."
-- Lucas 9:23


Não vale a pena se negar e tomar a sua cruz só para seguir o
mundo, ou só para seguir a galera, ou namorado, ou Maria ou o Papa,
ou o pastor ou nossa igreja. Só vale a pena morrer para este mundo
por causa de Jesus, porque ele morreu para este mundo por causa de
nós. E só ele fez isso. Ele não disse creia nisso ou seja devoto
daquilo. Ele disse "siga-me". Sigamos a ele. Podemos fazer isso na
companhia de muitos outros. Podemos aprender de muitos outros. Mas,
só seguimos a Jesus. Siga-me, ele disse. Vamos fazer isso com tudo
que temos e tudo que somos porque só ele merece. Recentemente na
China, o pastor Hua foi atacado por agentes oficias e levado para
um local desconhecido. Na Colômbia, no dia 6 de setembro, o pastor
Rafael foi assassinado por homens encapuzados na frente da sua
esposa. Na Inglaterra, a enfermeira Shirley foi proibida de usar um
pingente de crucifixo no trabalho sob a alegação de colocar em
risco a saúde de pacientes. Tomar a cruz diariamente torna-se cada
vez mais pesado para seguidores de Jesus. Para saber mais sobre o
alto custo que alguns dos seus irmãos e irmãs ao redor do mundo
estão pagando, e como você pode orar por eles, visite o site
www.portasabertas.org.br

ORAÇÃO:
Santo e eterno Pai, obrigado por nos dar um filho que merece ser
seguido. É uma honra para nós seguir Jesus, e qualquer sacrifício
que tivermos que fazer aqui vale a pena para estar mais perto dEle.
Em nome de seu Filho oramos e agradecemos. Amém.

quinta-feira, setembro 22, 2011

VITÓRIA PASSO A PASSO


O SENHOR, o seu Deus, expulsará, aos poucos, essas nações de diante
de vocês. Vocês não deverão eliminá-las de uma só vez, se não os
animais selvagens se multiplicarão, ameaçando-os. Deuteronômio 7:22
Quando Deus guiou Seu povo à Terra Prometida, Ele o fez passo a
passo. Se Ele tivesse permitido que Seu povo eliminassem seus
inimigos de uma vez, a terra teria ficado muito difícil de ser
administrada. Então Ele permitiu que alguns inimigos ficassem por um
tempo a fim de manter a terra e limitar o número de animais
selvagens. Ao fazer isso, Deus ensinou ao Seu povo a confiar nEle em
cada passo. Ele lhes deu apenas a responsabilidade com a qual podiam
lidar no momento.

Enquanto Deus lhe guia no seu crescimento espiritual, Ele permitirá
que você enfrente desafios que se encaixam com seu caráter e seu
relacionamento com Ele. Deus não mudará seu caráter totalmente de uma
vez quando você se tornar um cristão. Ao invés disso, Ele lhe guiará
num processo que lhe fará mais parecido com Seu Filho. Ele continuará
a operar numa área da sua vida até que ela seja controlada pelo
Espírito Santo.

Pode ser que você vai desejar ardentemente ter maturidade em certa
área de seu caráter, mas crescimento constante e gradual é mais
duradouro. Deus não tomará atalhos no processo de transformar você
mais como Jesus. Ele vê sua vida da eternidade e Ele levará o tempo
que for necessário para produzir crescimento espiritual duradouro em
você.

Não fique impaciente enquanto Deus está operando na sua vida. Não
procure mais responsabilidades além daquelas que Ele lhe deu. Obedeça
a tudo que você sabe que Ele lhe pediu, e Ele lhe guiará num ritmo
que se encaixa com seu caráter atual e os propósitos dEle para você.

(Texto de Henry Blackaby)

PLANTANDO SEMENTE


Então Jesus perguntou: “Com que se parece o Reino de Deus? Com que o
compararei? É como um grão de mostarda que um homem semeou em sua
horta. Ele cresceu e se tornou uma árvore, e as aves do céu fizeram
ninhos em seus ramos”. Mais uma vez ele perguntou: “Com que
compararei o Reino de Deus? É como o fermento que uma mulher misturou
com uma grande quantidade de farinha, e toda a massa ficou
fermentada”. Lucas 13:18-21

O Reino de Deus é assim mesmo! O que é o Evangelho? São poucas
palavras, às vezes faladas sem sofisticação ou treinamento. Um homem
conta como Deus o livrou de um vício. Uma mulher testemunha como Deus
a libertou da imoralidade.

Uma pregação sobre o filho pródigo. Uma ilustração sobre o túmulo
vazio na Páscoa. De repente um homem entende, uma mulher começa a
enxergar. Abrindo uma Bíblia que passou anos acumulando poeira na
estante, eles começam a compreender o grande amor de Deus.

Com o tempo eles se convertem, e começam a compartilhar sua
transformação com outros. Um vizinho, um parente, um casal de amigos
e com o tempo um pequeno grupo de estudo bíblico se torna uma igreja.
Com o passar dos anos aquela igreja planta outras. E como foi que
tudo começou? Alguém contando as Boas Novas em suas próprias
palavras, vestidas das experiências de uma vida comum.

Semente. Fermento. É isso mesmo. O evangelho começa pequeno e
discreto. Mas, só os céus poderão saber o que Deus fará com algo tão
poderoso. Já plantou alguma semente hoje?

Oremos: Soberano Criador, é impressionante o quanto o Senhor consegue
fazer com tão pouco. Perdoe-me quando olho para minhas limitações e
deixo de falar do Evangelho. Eu quero plantar aquelas sementes e
espalhar aquele fermento todos os dias, só para ver as grandes coisas
que o Senhor fará. Obrigado pela honra de participar na grandiosa
obra do Reino. Em nome do nosso Salvador eu oro. Amém.

(Texto de de Dennis Downing )

quarta-feira, setembro 21, 2011

MANTENDO O EQUILÍBRIO


"Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim".
(João 14:01)


Você já se sentiu como se estivesse em uma corda bamba? Eu já, e por
diversas vezes! Contemple esta situação. Um malabarista anda sobre a
corda, a platéia vai ao delírio. Anos de treinamento o consagram
sendo o melhor do mundo nesta categoria. São dezenas de apresentações
diárias, todas elas tecnicamente planejadas e treinadas, até que num
certo dia, o ousado malabarista solicita a presença de um dos seus
assistentes de palco para um número inédito.

Ele vai atravessar a corda bamba a 7 metros de altura carregando em
seus braços o seu assistente. Por maior que seja a experiência do
malabarista, seu assistente, por sua vez, terá que confiar
profundamente no caráter daquele que o carrega.

Por vezes andamos na “corda bamba da vida”. Temos a sensação de que
não vamos conseguir chegar do outro lado. Todavia, não estamos
sozinhos. Neste número existe alguém cujo caráter e qualidades
dispensam comentários. Podemos ousadamente dizer que “ele é perfeito,
nunca falhou em nenhuma das suas atuações”, principalmente ao
sustentar milhares de pessoas na corda bamba e não permitindo sequer
que uma vida se perdesse.

Ele é dotado de toda a sabedoria, talento, experiência. Seu nome é
Jesus Cristo, o filho de Deus. Deposite nele toda a sua confiança e
supere os limites da vida.

"...A fé é como andar de bicicleta: É preciso estar em constante
movimento para manter o equilíbrio..."

(texto de Danilo Souza )

Impuro, Igual ao Puro


Os seus sacerdotes violentam a minha lei, e profanam as minhas coisas santas; não fazem diferença entre o santo e o profano, nem discernem o impuro do puro; e de meus sábados escondem os seus olhos, e assim sou profanado no meio deles.
Ezequiel 22:26 -

Ao pregar aos cativos na Babilônia, o profeta Ezequiel procura abrir os olhos do povo quanto às causas que levaram os israelitas para sua derrota. Tanto o povo, quanto os sacerdotes, todos se corromperam: “Os seus sacerdotes transgridem a minha lei e profanam a minha lei e profanam as minhas coisas santas; entre o santo e o profano não fazem diferença, nem discernem o impuro do puro...” (Ezequiel 22:26).

Ridicularizar o outro é a arma mais ferina que as pessoas usam, no meio social. Agüentamos melhor um soco do que uma risada de escárneo. Ser alvo da chacota, principalmente daquela que vem dos nossos conhecidos e amigos, é pior que punhalada nas costas. Talvez por causa disso, sacrificamos muito daquilo que cremos, para não ficarmos diferentes do politicamente correto. Achamos que evitar o ostracismo merece todo o preço que tivermos que pagar. Mesmo que o preço seja ir contra nossas convicções.

Ezequiel, em uníssono com o resto da Bíblia, quer nos ensinar a nos libertarmos do cativeiro espiritual. Por isso, ele nos diz francamente: não dá para igualar o impuro com o puro. Não dá para engolir o profano, mesmo que venha embrulhado com as roupagens do santo. O Senhor nos diz no Apocalipse, com todas as cores: Estou para te vomitar. Porque você nem é frio, nem é quente. O Espírito quer nos ensinar a diferença entre o puro e o impuro. Mas nós fingimos que não existe. Ouçamos Paulo: não vos conformeis com este mundo presente!

quarta-feira, setembro 14, 2011

Feliz Aniversário Filhos...

Filhos amados, todas as grandes transformações dependem da fé e da esperança que trazemos no coração.

Deus deposita em nós a confiança total para alcançarmos nossos ideais e sonhos e a felicidade, não é formula que podemos dar aos outros.

Cada um de nós deve buscar os caminhos que nos levarão a diante para o poder maior do Senhor não existem impedimentos que resistam a sua força.

Olhem para o mundo na certeza de que conquistarão os seus espaço merecido.

Tentei buscar palavras para definir este tão grandioso sentimento de amor e alegria pela existência de vocês, que me inunda em pensamentos generosos para que sua vida seja repleta de grandes acontecimentos e ótimas surpresas.

Que neste dia toda bondade, paz e serenidade continuem a fazer parte de vossas vidas tão importante para mim.

Feliz Aniversário Meus Filhos!!!

terça-feira, setembro 13, 2011

Deus quer nos animar...



 E sucedeu depois da morte de Moisés, servo do SENHOR,
 que o SENHOR falou a Josué, filho de Num, servo de Moisés, dizendo:
Josué 1:1

É tão gostoso o dia em que somos animados e encorajados a continuar. O encorajamento é uma das pilastras que sustentam a comunhão cristã. Quando nos reunimos, devemos encorajar uns aos outros, compartilhando experiências, testemunhos, porções da Palavra e cânticos espirituais.

São em ocasiões como essa que o Senhor ministra fé em nosso coração para que, animados, não abandonemos a fé e os ideais que temos diante dEle. Este versículo me trouxe algo profundamente espiritual, quando percebi que o Senhor se aproveitou de uma situação diferenciada para falar com Josué: a morte de Moisés.

A voz de Deus é suave, muitas vezes imperceptível para quem se vicia em mesmices e em fórmulas espirituais. Pode até mesmo ser que por esta simples mensagem, o Pai esteja lhe dizendo: "Minha filha, não pare de louvar...", "meu filho, eu trarei seus pais para minha presença".
Nesta semana, o Pai reservou palavras de fé para sua vida.
 Se alimente delas, e prossiga em comunhão com o Senhor Jesus!

REFLEXÕES

Aprendendo com os Gansos


 Eclesiastes 4.9-12

Quando os gansos selvagens voam em formação "V", eles o fazem a uma velocidade 70% maior do que se estivessem voando sozinhos. (É que à medida que cada pássaro bate suas asas, é criada uma "sustentação’’ para o pássaro que o segue).
Quando o ganso que está no ápice (na frente) do "V" fica cansado, ele (ou ela) passa para trás da formação e outro ganso voa para a posição de ponta.

Durante o vôo, os gansos da retaguarda grasnam para encorajar aqueles que vão a frente a manterem suas velocidades.

Os gansos acompanham os fracos, quando um deles fica doente ou ferido ou é abatido, no mínimo outro ganso sai da formação e segue-o na descida, para ajudá-lo e protegê-lo. Ele permanece na sua companhia até que ele possa voar novamente. Então ele vai em busca de uma outra formação ou se integra ao próprio grupo.


Sendo parte de uma equipe, nós também podemos utilizar adequadamente os recursos disponíveis, para que o fruto do nosso trabalho ganhe em qualidade. Se tivermos senso de comunidade como os gansos, saberemos revezar-nos na execução das tarefas difíceis compartilhando uma direção comum.

Da próxima vez, ao ver uma formação de gansos voando, lembre-se que é uma recompensa, um desafio e um privilégio fazer parte de uma equipe.

Embora essa mensagem dos gansos seja bem conhecida pela maioria, acredito ser importante refletirmos sobre ela no nosso dia a dia, principalmente nós discípulos de Cristo, que possamos aprender com eles algusn pontos:


- Se tivermos forças, revezemos com os que a algum tempo estão na frente do grupo, ou seja, que compartilhemos as tarefas para que a obra aconteça de maneira natural;


- Se não temos forças para andar a frente, que pelo menos "grasnemos", venhamos a encorajar os que estão batalhando;


- E nunca nos esqueçamos de ajudar uns aos outros, principalmente quando vemos alguém necessitado e abatido.




UM BANDO DE LIÇÕES

Fato: Gansos voando em formação, ao baterem suas asas, criam um fluxo
de ar que ajuda a sustentar os gansos que os seguem. Voando no
formato de “V”, o bando inteiro tem um alcance de vôo até 70% maior
do que se cada ave voasse sozinha.

Lição: Pessoas que compartilham uma direção em comum e um senso de
comunidade chegam ao seu destino com mais facilidade quando ajudam
uns aos outros no caminho.

Fato: Se um ganso sair da formação, ele sente a resistência e a força
extra necessária para voar sozinho. Consequentemente, ele volta logo
à formação para aproveitar a aerodinâmica das outras aves do grupo.

Lição: Se tivermos ao menos o bom senso de um ganso, ficaremos
alinhados com aqueles que estão indo na mesma direção.

Fato: Quando o ganso da frente cansar, ele volta para trás na
formação e outro assume a posição de ponta.

Lição: Vale a pena compartilhar a liderança e revesar o trabalho
cansativo.

Fato: Gansos voando em formação grasnam para encorajar os que estão
na frente a manterem o ritmo.

Lição: É importane que o nosso “grasnar” seja encorajador, e não o
contrário!



Fato: Quando um ganso adoece ou é alvejado, outros dois descem com
ele para tentar protegê-lo. Eles ficam com o outro ganso até ele
morrer ou poder voltar a seguir o vôo.

Lição: Quando sofremos, cabe aos nossos próximos ficarem ao nosso
lado.

Autor Desconhecido


quinta-feira, setembro 08, 2011

Qual a diferença entre alma e espírito?


 
Qual a diferença entre alma e espírito?

As palavras “alma” e “espírito” nas Escrituras provém de palavras hebraicas e gregas, línguas em que a Palavra de Deus foi escrita.

 Vejamos:

Alma – No AT, vem do hebraico vpn (nephesh). Ocorre aproximadamente 755 vezes, sendo traduzida de diferentes formas, dependendo do contexto.
No Novo Testamento, a palavra grega é quch (psyche) e ocorre aproximadamente 105 vezes.

Espírito – No AT, são usadas as palavras Mwr (ruach) e hmvn (neshamah). Aparece 377 vezes.
 No Novo Testamento, a palavra grega para espírito é pneuma (pneuma); ocorre 220 vezes.

Ambas são traduzidas de diversas formas nas Escrituras; eis alguns exemplos:

Alma – vida (Gn 9:4,5; 35:18; Sl 31:13, etc), pessoa (Gn 14:21; Dt 10:22; At 27:37, etc), cadáver (Números 9:6); apetite (Ec 6:7) coração (Ex 23:9) ser vivente (Ap 16:3) pronomes pessoais (Sl 3:2; Mt 26:38)

A palavra “alma” aparece na Bíblia aproximadamente 1600 vezes, e em nenhum caso refere-se a uma entidade fora do corpo, ou que seja “imortal”.

Espírito – vento (respiração – Gn 8:1), espírito (no sentido de alento – Jz 15:19), atitude ou estado de espírito (Rm 8:15; I Co 4:21, etc), sopro ou hálito de Deus (II Ts 2:8, etc) consciência individual (I Co 2:11, primeira parte).

Possui também outras definições: anjos e demônios (Hb 1:14; I Tm 4:1, etc) aplica-se como apelativo a Cristo (II Co 3:17 ) a Divina natureza de Cristo (Rm 1:4), a Terceira Pessoa da Trindade (Rm 8:9-11; I Cor. 2:8-12 )

O termo “espírito”, em todas as vezes que aparece nas Escrituras referindo-se ao ser humano, não expressa o conceito de que o mesmo seja uma entidade imaterial consciente capaz de sobreviver fora do corpo.

Por que existem tantos sentidos para as palavras “alma e espírito”? A línguas bíblicas não possuem um considerável número de verbetes. Como exemplo temos o hebraico, que não tem vogais, preposições, ou conjunções. É esta escassez de palavras que torna possível apenas uma assumir vários sentidos.
Como comparação, vejamos a língua portuguesa. Mesmo sendo rica em letras e verbetes, enfrenta certas dificuldades. A palavra “manga” tem mais de 1 sentido: manga de um casaco; a fruta cujo nome é manga, etc. Se a nossa língua, com seus muitos verbetes têm palavras com vários sentidos, imagine o alfabeto hebraico !

Apesar das diversas traduções, é importantíssimo sabermos que o conceito básico de “espírito” e “alma” encontramos no texto de Gênesis 2:7, onde nos é mencionado o processo utilizado por Deus na criação do homem:

“Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida (neshamah), e o homem passou a ser alma (nephesh) vivente”. Gênesis 2:7.
Deus formou ao homem de 2 elementos: pó da terra e fôlego de vida. De acordo com o original, este texto seria da seguinte forma: “Então, formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o espírito de vida (fôlego de vida), e o homem passou a ser uma pessoa vivente”.Isto significa que no conceito Bíblico:

A) Espírito é o fôlego de vida proveniente de Deus;

B) Alma é a união do corpo com o fôlego de vida, ou seja, a pessoa como um todo. Isto é apoiado pelo texto de Deuteronômio 10:22.

 Exemplifiquemos isto:

Digamos que você tenha uma lâmpada e não tenha e eletricidade. Terá luz? Certamente não.
Agora suponhamos que você tenha a eletricidade, mas não tenha a lâmpada. Terá luz? Também não.
Para haver a luz, terá de ter a lâmpada e a eletricidade; apenas uma delas não bastará.
O mesmo se dá com a vida. Para existir vida, temos de ter o corpo e o espírito (fôlego de Deus). Caso contrário, não temos vida; somos inconscientes.

 Como disse Jesus:

“Isto dizia e depois lhes acrescentou: Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo. Disseram-lhe, pois, os discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Jesus, porém, falara com respeito à morte de Lázaro; mas eles supunham que tivesse falado do repouso do sono. Então, Jesus lhes disse claramente: Lázaro morreu”. João 11:11-14.

Cristo comparou a morte a um SONO, confirmando assim o que diz Salomão:

“Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento. Amor, ódio e inveja para eles já pereceram; para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol”. Eclesiastes 9:5-6.

Portanto:

Lâmpada + eletricidade = Luz.
Lâmpada – eletricidade = Sem luz.
Pó da Terra (corpo) + fôlego de vida (espírito) = Alma vivente.
Pó da terra – fôlego de vida = cadáver – sem vida.
A união do corpo com o fôlego de vida de Deus resultou numa alma vivente.
 Assim, podemos ver que o homem “é uma alma”. (cf. Deuteronômio 10:22), não “possui uma alma”.

O fôlego de vida (espírito) humano, dado por Deus, a fonte de toda a vida (Salmo 36:6; Colossenses 1:17, etc) é o mesmo de todos os animais (leia Gênesis 7:22; Eclesiastes 3:19); isto quer dizer que este alento não pode ser algo inteligente, pois se o fosse, o fôlego de vida dos animais (o espírito) teria de ser algo racional também.

Quando morre o corpo, o fôlego de vida não mais existe; torna para Deus (Eclesiastes 12:7) (reintegra-lo, talvez, no ar). Sendo que este espírito (sopro ou fôlego de vida) não é algo pensante, na morte o ser humano deixa de existir como um todo.

De acordo com as Escrituras, o único que possui a imortalidade é Deus: “a qual, em suas épocas determinadas, há de ser revelada pelo bendito e único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores; o único que possui imortalidade, que habita em luz inacessível, a quem homem algum jamais viu, nem é capaz de ver. A ele honra e poder eterno. Amém!” 1 Timóteo 6:15-16.

Isto se dá porque, para o homem fosse eterno, teria de obedecer a Deus para ter livre acesso á árvore da vida, que perpetua a existência.

Como o homem pecou e Deus o expulsou do éden, ele não comeu mais da árvore da vida, tornando-se assim mortal. (Leia Gênesis 3:22-24; Isaías 51:12).

Se já fôssemos imortais, não haveria necessidade de Adão ter comido da árvore da vida, e nós de a comermos no céu. (cf. Gênesis 2:16, 17; 3:23, 24 e Apocalipse 22:2).
 Como seríamos imortais sendo que Deus privou o homem de comer da árvore da vida? (ver Gênesis 3:22 e 24). O homem foi criado com a imortalidade; mas esta era “condicional” à obediência a Deus.

No céu, quando Jesus voltar e nos levar com ele iremos comer da árvore da vida para sermos imortais:

 “No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos”. Apocalipse 22:2.

“Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas”. Apocalipse 22:14.

“e, se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa e das coisas que se acham escritas neste livro”. Apocalipse 22:19.


Se já tivéssemos uma alma ou espírito imortal, não haveria necessidade disto.

Se o espírito ou alma já estivessem no céu (vivendo de um modo imaterial), porque Jesus iria vir nos buscar? Não haveria necessidade disto se já estivéssemos lá em cima.
A ressurreição é uma prova de que a pessoa ainda não está no céu na morte; se Jesus vem nos ressuscitar a pessoa para levar ao céu, é sinal de que ela ainda não está lá.

Com o auxílio de uma concordância analítica, podemos verificar que o hebraico “nephesh” e o grego “psique” não aparecem uma única vez coma idéia de imortalidade ou eternidade.
As mesmas palavras hebraicas usadas para definir espírito são usadas para referir-se ao “fôlego de vida” que Deus soprou nas narinas do homem; assim ocorre também com as palavras gregas.
O estado do homem na morte

Na Bíblia, a morte é comparada a um “sono” cerca de 53 vezes, indicando assim o estado de inconsciência dos mortos até a volta de Jesus (Salmo 6:5; 13:3; 88:10-12; 115:17; Isaías 38:18-19; Eclesiastes 9:5-6 e 10; I Tessalonicenses 4:13-16).

“A Bíblia não apóia em absoluto a doutrina popular de que os mortos permanecem conscientes até a ressurreição. Pelo contrário, enfaticamente refuta tal ensinamento (Sl 115:17; Ec 9:5). Emprega-se comumente o verbo dormir como símbolo da morte (Dt 31:16; 2 Sm 7:12; I Rs 11:43; Jó 14:12 ; Dn 12:2; Jo 11:11,12; I Co 15:51; I Ts 4:13-17; etc).

A declaração de Jesus, que consolava a seus discípulos com a idéia de que eles voltariam a estar com ele na ocasião de sua segunda vinda e não na morte, ensina claramente que o “sono” não é uma comunicação consciente dos justos com o Senhor (João 14:1-3). Do mesmo modo, Paulo explicou que ao produzir-se o segundo advento, todos os justos que então estão vivos e os mortos que ressuscitarão neste momento se unirão simultaneamente com Cristo, sem que os vivos precedam os mortos (I Ts 4:16,17)” .

Se a morte fosse um começo de uma nova existência, não poderia ser chamada pelas Escrituras de nossa “inimiga” (I Coríntios 15:26); teria de ser chamada de amiga, pois estaria nos ajudando a ir para o paraíso.
Como os justos irão pára o céu. Origem da doutrina da imortalidade da alma
Não nos esqueçamos que as pessoas que foram arrebatadas ao Paraíso (Enoque, Moisés e Elias) o foram com o corpo, em vida e não por ocasião da morte (Moisés foi ressuscitado antes de ir ao céu – cf. Judas 9). Isto é uma prova indiscutível de que o ser humano, ao ir para o Céu, irá também com o corpo e não em espírito apenas.
Basta estudarmos a história e veremos que “a doutrina da imortalidade da alma não é bíblica, mas pagã. Nasceu na Grécia e propagou-se na Igreja, através de Platão, do século V em diante, graças à influência de Agostinho…” (Professor Otoniel Mota, Pastor Presbiteriano, em Meu Credo Escatológico [opúsculo], ed. 1938, p. 3.)

Questões Bíblicas para análise:

1) Se a pessoa ao morrer fosse para o céu ou para o inferno, que necessidade haveria de Jesus voltar e nos ressuscitar, se já estivéssemos no céu? (os de Cristo, na sua vinda – I Cor. 15:23). É ilógico Jesus enviar-nos do céu ‘em espírito’ para a sepultura para depois ter de ressuscitar. Como harmonizar a doutrina da ressurreição com a doutrina imortalista?

2) Como crer que ao morrermos vamos para o céu se em Hebreus 11:39 e 40 os heróis da fé ainda não obtiveram a concretização da promessa, pois Deus não quer que sem nós eles sejam aperfeiçoados? (Lembremos de I Cor. 15:20).

3) Como crer na doutrina da imortalidade da alma sendo que a eternidade do homem era condicional à obediência a Deus, e por desobedecer Adão foi privado da árvore da vida para que não se tornasse imortal como Deus? Nós não comemos da árvore da vida… (Gênesis 3:22-23). Porque iremos comer da árvore da vida no céu se nosso espírito é imortal? (Apocalipse 22:2).

4) Se somos imortais, porque devemos ainda “buscar a imortalidade e a incorruptibilidade”? (Romanos 2:7). Se devemos buscar, é porque não a temos.

5) Porque Jesus diz ser a morte um sono? (João 11:11-14) Porque Jesus disse, após Sua ressurreição, que durante a morte “ainda não tinha subido para o Pai?” (João 20:17).

6) Como harmonizar a doutrina da imortalidade da alma com o texto de Mateus 16:27, no qual diz que “a recompensa será dada quando Jesus voltar”? Se estivessem os mortos no céu ou no inferno, já teriam recebido a recompensa…Tal doutrina (vida após a morte) não se harmoniza com a doutrina do Juízo.

7) Jesus disse em João 11:25: “… Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; (João 11:25 grifo meu); Ele não disse: “… ainda que morra, vive…”. “Ao contrário, Ele declarou, que no futuro trará da sepultura aqueles que morreram nEle. Veja João 5:28 e 29”.
Quando receberemos a imortalidade.
Em João 5:24 o Senhor diz que ao cremos nEle, temos a imortalidade garantida. Mas isto não significa que hoje tenhamos recebido a imortalidade . Isto fica claro nos seguintes textos, onde se afirma que a receberemos quando Jesus voltar e ressuscitar os justos :

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida.
 Quem crê em mim, ainda que morra, viverá” João 11:25. “E serás bem-aventurado, pelo fato de não terem eles com que recompensar-te; a tua recompensa, porém, tu a receberás na ressurreição dos justos”. Lucas 14:14.

 “De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia”. João 6:40.

Outros versos:

“Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé não obtiveram, contudo, a concretização da promessa, por haver Deus provido coisa superior a nosso respeito, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados”. Hebreus 11:39-40. “Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda”. 1 Coríntios 15:23.

 “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem. Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor”. 1 Ts 4:13-17.

Neste texto podemos ver a seqüência correta dos eventos antes de recebermos a imortalidade que já nos está assegurada em Cristo:

1o: Vinda de Jesus;
2o: Ressurreição dos mortos;
3o: Transformação dos vivos;
4o: Arrebatamento dos vivos juntamente com os mortos ressuscitados, indicando assim que iremos para o céu todos juntos; os mortos não vão primeiro após a morte;
5o: Encontro com o Senhor nos ares;
6o: Vida eterna ao lado de Cristo.

Em I Coríntios 15 também podemos observar esta seqüência em muitos detalhes:
“Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade. E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória”. 1 Coríntios 15:51-54.

1o: Volta de Jesus, anunciada pelas trombetas;
2o: Ressurreição dos mortos;
3o: Transformação dos vivos;
4o: Nos é outorgada a imortalidade, pois é neste momento que é dito que “tragada foi a morte pela vitória”.
Eis a seqüência apresentada e apoiada pelas Escrituras.

COLOQUE A ISCA



Um pai levou seu filho para pescar num rio. Eles colocaram a linha
com os anzóis e iscas e foram até o chalé onde estavam hospedados.

Uma hora depois voltaram para o rio para ver se haviam pego alguma
coisa. Vários peixes haviam sido fisgados nos anzois. “Eu sabia que
haveria, pai”, declarou o filho. “Como você sabia”? perguntou o pai.
“Porque eu orei”, o meninos disse.

Então, eles colocaram mais iscas nos anzóis e voltaram ao chalé para
jantar. Depois, desceram ao rio outra vez e havia mais peixes
fisgados na linha. “Sabia”, falou o menino. “E como”? pergunto o pai.
“Orei de novo”, falou o filho.

Então eles colocaram a linha outra vez e voltara ao chalé. Antes de
dormir eles desceram de novo ao rio. Desta vez não havia peixes.
“Sabia que não teria”, declarou o menino. “Como você sabia”?
perguntou o pai. “Porque” falou o menino “Desta vez eu não orei”. “E
por que não”? indagou o pai. “Porque eu lembrei que esquecemos de
colocar a isca nos anzóis”, falou o menino.

Ambos os elementos são essenciais.

Há um ditado popular que diz assim “Ore como se tudo dependesse de
Deus, mas, trabalhe como se tudo dependesse de você.” Eu não estou
completamente satisfeito com este ditado porque parece que está
dizendo que devíamos viver nossas vidas como se Deus não estivesse
fazendo nada (quando a verdade é que, se alguma coisa acontece, será
porque ele a fez acontecer).

No entanto, posso apreciar o sentimento de que não devíamos
simplesmente orar e daí relaxar e esperar que Deus faça alguma coisa.
Entretanto, parece que fazemos isso o tempo todo. Oramos para que
Deus abençoe os necessitados. E depois, o que é que fazemos para
abençoá-los? Será que Deus vai fazer descer do céu encomendas de
comida e roupas? Ele os ajudará através de pessoas como nós suprindo
suas necessidades.

Parece que nossas consciências são tranquilizadas quando pedimos a
Deus para cuidar dos enfermos, dos necessitados, dos abandonados,
enquanto nós relaxamos e não fazemos nada para ajudar. Orar por todas
as pessoas que não conhecem Jesus nos faz sentir bem enquanto vivemos
nossas vidas sem falar dEle às pessoas ao nosso redor. Sentimos que
“cumprimos o nosso dever” orando por missionários, sem ao menos
enviar uma palavra de encorajamento a quem está no campo missionário.

Em essência, deixamos de colocar a isca no anzol, e daí oramos para
que Deus fisgue os peixes. Note a diferença, porém, neste exemplo que
Neemias deixou para nós:

Hanani, um dos meus irmãos, veio de Judá com alguns outros homens, e
eu lhes perguntei acerca dos judeus que restaram, os sobreviventes do
cativeiro, e também sobre Jerusalém. E eles me responderam: “Aqueles
que sobreviveram ao cativeiro e estão lá na província passam por
grande sofrimento e humilhação. O muro de Jerusalém foi derrubado, e
suas portas foram destruídas pelo fogo”. Quando ouvi essas coisas,
sentei-me e chorei. Passei dias lamentando-me, jejuando e orando ao
Deus dos céus... O rei me disse: “O que você gostaria de pedir?”
Então orei ao Deus dos céus, e respondi ao rei: Se for do agrado do
rei e se o seu servo puder contar com a sua benevolência, que ele me
deixe ir à cidade onde meus pais estão enterrados, em Judá, para que
eu possa reconstruí-la. Neemas 1:2-4; 2:4-5

Note que Neemias não só orou a Deus para que ele reconstruisse os
muros de Jerusalém. Ele orou e daí se esforçou para fazer tudo que
ele podia para realizar aquele projeto. Ambos os elementos são
essenciais. Que as nossas orações sejam não só para que Deus abençoe
os outros, mas, que Deus nos use para abençoar aqueles ao nosso
redor. Não ore por peixe, a não ser que você esteja disposto a
colocar a isca no anzol.
 
===============================================================

quarta-feira, setembro 07, 2011

Ele tem a resposta certa para tudo



“Para ser sábio, é preciso primeiro temer a Deus, o SENHOR. Se você conhece o Deus santo, então você tem compreenção das coisas. ( Provérbios 9:10 )

Promessas
  • Deus quer nos dar a verdadeira sabedoria para compreender todas as coisas.
  • Esta sabedoria fará com tenhamos uma vida mais longa
Condições
  • Abandonar o caminho dos tolos
  • Temer a Deus
  • Conhecer ao Senhor
                                  "FELIZ A NAÇÃO CUJO DEUS É O SENHOR"

Aplicação Prática

Queridos, a verdade é que não há meios termos. Ou conhecemos a sabedoria que vem de Deus, para fazermos aquilo que é bom aos olhos de Deus, ou seguimos a sabedoria do mundo para fazer aquilo que a Biblia qualifica como “sem juízo” ( Pv 9:13-18 ).

 Veja este outro texto:

Ninguém se engane a si mesmo; se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para se tornar sábio.
Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia; e outra vez: O Senhor conhece as cogitações dos sábios, que são vãs. ( I Coríntios 3:18-20 )


Este texto de Provérbios nos deixa 3 orientações claras para recebermos a sabedoria de Deus e compreender todas as coisas:
  1. Abandonar o caminho dos tolos: Não se engane. Por mais brilhante que pareça, a sabedoria dos homens, deste mundo, é loucura para Deus. Não há meio termo. Ou buscamos e nos deixamos ser guiados pela sabedoria de Deus, ou nos rendemos à sabedoria deste mundo e sofreremos conseqüências desastrosas. Não vá mais pelo que as pessoas falam, acham, ou pelos acertos de outras pessoas. Não se deixe mais levar pela opinião geral, pelas noticias. Decida saber o que Deus pensa, como Ele faria em seu lugar.

      2.Temer a Deus: Isso equivale à submeter-se absolutamente a Ele, colocá-lo na posição que Lhe convém, acima de todas as coisas, ter sua confiança e dependencia exclusiva Nele. Temer a Deus também significa respeitá-lo vivendo em santidade, de uma forma que agrada a Ele, e isso abre caminho para que você viva o treceiro ponto:

     3.Conhecer ao SENHOR: Este “Conhecer” não quer dizer apenas “saber sobre Ele”, mas sim, conhecê-lo pessoalmente, na pessoa do Espírito Santo. Ter o Espírito Santo habitando em seu interior é a maior riqueza que alguém pode ter, pois é ter a companhia constante aquele que conhece toda a sabedoria de Deus, e que lhe revela a cada decisão, atitude, palavra.



Você poderá receber a direção de Deus claramente, em todo tempo, e diante de cada decisão e atitude que tiver que tomar, se decidir abandonar o conhecimento do mundo, temer a Deus e viver em comunhão com o Espírito Santo.

segunda-feira, setembro 05, 2011

Amor que caminha junto



Há algo profundo sobre a maneira como Deus nos ama, mas é provável que esse amor seja melhor entendido por quem já teve filhos. Se você encontra um casal que acabou de ter um bebê, não é preciso perguntar a eles o que é amor incondicional, a resposta está no brilho de seus olhos cada vez que eles olham sua criança.

Li uma história que nos conta... Que uma menininha de cabelos escuros e ondulados, estava subindo os degraus devagar e atrás dela havia um homem de cabelos brancos, totalmente atento aos passos da pequena.
Conforme eu ia me aproximando, o senhor pôs a mão nas costas da criança e com a outra mão, mostrou a ela como apoiar-se na parede ao lado enquanto subia. Logo, além do olhar e da segurança por trás dela, havia também a parede para ajudá-la.

Poucos segundos depois, Ele disse-lhe: “Viu como fica mais fácil?”.
Aquela cena me faz pensar em como Deus guia nossos caminhos. Ele não faz uma placa piscar dizendo “siga por aqui” e fica olhando de longe, Ele caminha junto, atento aos nossos passos, com um toque em nossas costas e um apoio extra quando é necessário.

Deus diz “Eu já conheço a escada”, mesmo enquanto nossos pés ainda estão se movendo receosos sobre os degraus. Havia uma verdade importante nas palavras daquele homem: fica realmente mais fácil quando caminhamos junto com Deus, seguindo Sua voz. Não significa que absolutamente tudo será simples ou que não haverá dor, mas ter Sua companhia e proteção, torna possível qualquer caminho que sozinhos não seríamos capazes nem de olhar.

Como a criança que depende de Alguém pra caminhar, precisamos ter um Pai que nos ama e que cuide de nós durante o caminho.

Porque eu, o SENHOR teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo:
Não temas, eu te ajudo. (Is. 41:13)

quinta-feira, setembro 01, 2011

PONTES CAÍDAS


"O ouvido que escuta a advertência da vida terá a sua morada entre os
sábios" (Provérbios 15:31).









Há alguns anos atrás, um certo jornal trazia uma história de um
motorista de caminhão. Em uma noite nebulosa ele mergulhou com seu
veículo no rio, caindo em um penhasco onde deveria haver uma ponte
bem familiar para ele. Milagrosamente salvo, sem ferimentos graves,o
caminhoneiro saiu dos destroços e se arrastou pelo desfiladeiro
acima, até a estrada. Freneticamente ele agitava seus braços tentando
avisar aos outros motoristas sobre a queda da ponte. "A ponte caiu,
volte!" A maioria dos motoristas, naquela noite de tráfego escasso,
ignorou seus apelos considerando-o um louco. -- para seu próprio mal.

Isso acontece com frequência nos dias atuais. Aqueles que já
experimentaram as armadilhas deste mundo, conhecem as direções
erradas que nele existem. Mas suas advertências são ignoradas e seus
avisos são ridicularizados. São chamados de arrogantes por
esforçar-se em mostrar o caminho certo.

Mas não devemos desanimar nunca. Cabe a nós deixar Deus usar-nos para
advertir aos caminhantes desta vida sobre os perigos das pontes
caídas. Mesmo que alguns não nos ouçam, certamente muitos ouvirão...
e se salvarão.

Quando o homem teima em seguir seus próprios caminhos, sem se
importar com os avisos de perigo, pode cair logo adiante e nem sempre
conseguirá se levantar para recomeçar sua jornada. Deus nos adverte
constantemente sobre as "pontes caídas" que nos farão mergulhar nos
rios de aflição e angústia. Ele sempre envia alguém para nos alertar
e, se não estivermos sensíveis aos Seus sinais, poderemos perder
grandes momentos de alegria e regozijo que Ele nos tem preparado.

Você está certo de que o caminho que segue tem uma ponte para
conduzir sua vida até à verdadeira felicidade?