ESTUDOS BIBLICOS







Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas



segunda-feira, março 19, 2012

BENDIZEI AO Senhor!


 
Levantai as vossas mãos no santuário, e bendizei ao Senhor
(Salmo 134:2).

Quando o Espírito Santo lidera os crentes no momento em que estão reunidos, cumprindo a promessa do Senhor Jesus, Sua presença é sentida. Submetemos nossa vontade a Ele, nosso coração se ocupa com Ele, e pela fé nossos olhos se direcionam para Ele. Deus Pai Se agrada quando Seus filhos, em reverência e amor, percebem Sua presença, pois a “igreja está sujeita a Cristo” (Efésios 5:24). Se estivermos unânimes nessa atitude de coração, o Espírito Santo nos fará conhecer as verdades espirituais (João 16:14).

O coração do Senhor Se alegra quando vários redimidos podem ser usados como instrumentos Seus na congregação. A falta de disposição e entusiasmo em participar ativamente da adoração pública é um sinal de anormalidade na vida dos filhos de Deus.

Encorajemos e ajudemos uns aos outros a contemplar as maravilhas do Senhor. Que os filhos de Deus sempre “ofereçam os sacrifícios de louvor, e relatem as suas obras com regozijo” (Salmo 107:22).

segunda-feira, março 12, 2012

Compreendendo a Felicidade



- O que é a felicidade? É um estado de espírito? Ela é temporal ou atemporal?
Podemos encontrar inúmeras definições para essa palavra; mas com certeza, sempre ficarão lacunas.

Comumente, defini-se felicidade como: um estado afetivo ou emocional de sentir-se bem ou sentir prazer, associado a: bem estar, alegria, prazer sexual, contentamento, saúde, segurança, deleite, amor, etc.
Felicidade é geralmente correlacionada com a presença de eventos favoráveis (como uma promoção, um casamento, ganhar na loteria, etc) e ausência de problemas ou má sorte (como acidentes, ser demitido, divórcio, conflitos, etc).

Será que não existe ai uma grande confusão entre felicidade e alegria?

Apesar das mais variadas interpretações a cerca da felicidade, algo é certo e real; todos buscam a felicidade!
Vamos analisar alguns pontos acerca da felicidade, para que tenhamos discernimento a respeito dela.

- Felicidade: do grego "phelis", diz que uma pessoa é feliz quando possui o ar da graça, ou em total estado de euforia. Uma pessoa feliz é capaz de muitas coisas.
- Felicidade eufórica dentro de uma visão da ciência da psicologia, Phelis Xiddad Croniccus é uma doença que afeta pessoas que acham graça em tudo, possuem desvio de caráter e isso deve ser tratado por profissionais: psiquiatras.
- Felicidade para os romanos era uma divindade alegórica, representada na figura de uma rainha no seu trono, tendo em uma das mãos um caduceu (bastão em torno do qual se entrelaçam duas serpentes e cuja parte superior é adornada com asas) e na outra mão uma cornucópia (na mitologia era um vaso em forma de chifre, com frutas e flores que dele saíam em abundância e expressa um antigo símbolo da fertilidade e riqueza).
- Para Budah a felicidade acontece quando a pessoa enxerga seus defeitos e pode se transformar em algo melhor que ela queira. Toda vez que a pessoa reconhece um erro e se corrige, ela transforma a sua personalidade em algo melhor. E consequentemente está se afastando do que traz dor e vazio e juntamente com isso se aproximando da plenitude, da iluminação.
- No velho testamento um personagem bíblico de nome Jó, faz a seguinte referência: "Sobrevieram-me pavores; como vento perseguem a minha honra, e como nuvem passou a minha felicidade." (Jó 30:15) Na verdade Jó lamenta a sua situação de pobreza e de doenças, principalmente, a falta de proteção de Yavêh (Deus). Quando em sua mocidade vivia em plena abundância material, familiar e satisfação emocional.
- O apostolo Paulo era perseguido pelos judeus por expandir a fé cristã aos gentios, e mesmo assim estava feliz, veja o que ele diz diante de seus acusadores: "Tenho-me por feliz, ó rei Agripa, de que perante ti me haja hoje de defender de todas as coisas de que sou acusado pelos judeus;" (Atos 26:2)
- O salmista David também tem sua definição de felicidade, para ele ser feliz é estár debaixo da dependência de Deus: "Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos. Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e tudo lhe irá bem." (Salmos 128:1-2)

Porém, cada pessoa tem sua forma de ver a felicidade! Necessariamente, a felicidade não se resume a bens materiais ou a satisfações emotivas; não podemos conjugá-la, apenas, como a alegria de realizações de nossos desejos, muito menos a nossa resignação em favor dos outros, pois felicidade é também senso de justiça própria.
Felicidade é antes de tudo a relação de amor que mantemos com Deus; mas também a consciência das nossas limitações e a aceitação da nossa condição real.

Ser feliz é poder olhar para dentro de nós mesmos e nos sentir bem com quem nós verdadeiramente somos, é amar os nossos semelhantes com o mesmo amor que gostaríamos de ser amado; é ter discernimento da nossa responsabilidade na construção de um mundo melhor e mais justo para todos; é a certeza de estarmos sempre aptos e encorajados a ajudar aos necessitados; é manter acesa a chama da esperança e da fé diante do niilismo que nos envolve; é se sentir confiante ao expressar uma vida verdadeira e transparente; é gerar nos outros esperança e bem estar; é saber que pode se doar sem pedir nada em troca; é ter segurança diante das adversidades; é irradiar a luz de Deus para que possa dirigir os caminhos daqueles que se encontram perdidos; é antes de tudo, estar debaixo da graça e do amor de Deus.

Fonte: http://www.paralerepensar.com.br 

sexta-feira, março 09, 2012

ENCARANDO A SOMBRA


Há uma parte em nós que ocultamos a todo instante. Não queremos que ela apareça, nem que nos convença de sua existência. Vivemos nossas vidas como se ela não existisse, como se possível fosse ignorar sua influência em nós. Apesar de tantas resistências e tantas negações, em algum momento ela ressurge! Eis a nossa SOMBRA!
Foto: google
A Sombra é aquela área em nós conflituosa, verdadeira, que carrega em si nossos piores defeitos, o que em nosso caráter queremos negar ou esconder. É ela quem nos revela a verdade de quem somos de fato, e não aquilo que os outros pensam que nós sejamos. Por esta razão a gente se esforça para sustentar a máscara de nossas mais superficiais vivências e tenta a todo instante combater a Sombra. Negamo-la para não sofrermos com nossas realidades mais profundas. Pois é ela quem nos convence a todo instante de que precisamos entrar em contato com nossa escuridão. Carl Jung, psicanalista e profundo conhecedor da psiquê humana, foi quem denominou de SOMBRA este nosso lado escuro, que nós encobrimos da sociedade e de nós mesmos usando os nossos mecanismos de defesa! É de Jung a frase “O Homem não se torna iluminado por entrar em contato com um monte de pontinhos de luz, mas a iluminação interior só vem quando entramos em contato com nossa própria escuridão” Ou seja, tem muito a ver com o que disse o Mestre da Galiléia há mais de dois mil anos no Evangelho de  João: ” Porque todo aquele que pratica o mal aborrece a Luz e não vem para a Luz para que suas obras não sejam reprovadas3:20. Vir à Luz significa entrar em contato com a Sombra, dialogar com ela e deixá-la revelar a nós o que nem sabemos de nós mesmos. Resistir a Sombra é viver na mentira o tempo todo, é querer ser aceito o tempo todo, é querer alimentar-se de ilusões a todo instante.
Somos seres que dialeticamente carregam em si a luz e a escuridão, o bem e o mal. Só quando nos damos conta disso é que de fato nos libertamos para uma vida autêntica. É aí que deixamos de lado as antipatias baratas, as inimizades fúteis, as acusações do pecado alheio, o querer ser o que a sociedade, a religião e as pessoas querem que sejamos. Havendo esta percepção, haverá individuação, havendo individuação haverá paz interior, havendo paz interior o caminho do Reino dos céus estarão abertos, pois este reino segundo o Mestre, está dentro de cada um de nós.
Texto de: Kevin Drumond

quinta-feira, março 08, 2012

OPOSIÇÃO


Tendo eles partido, eis que apareceu um anjo do Senhor a José, em
sonho, e disse: Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito
e permanece lá até que eu te avise; porque Herodes há de procurar o
menino para o matar. Mateus 2:13
Quando Deus falar claramente para você e você obedecer a vontade
dEle, pode esperar que você enfrentará oposição. Ataques espirituais
nem sempre são sinal de que você está fora da vontade de Deus; eles
podem indicar que você está exatamente no centro da vontade dele.
O marido de Maria, José, era um homem justo que temia a Deus, mas
mesmo assim sua obediência a Deus o forçou a fugir para se manter
vivo num país estrangeiro. A dificuldade de José veio, não por causa
de pecado dele, mas por causa de sua obediência. Apesar de Maria e
José terem sido forçados a se mudar para outro país, eles
permaneceram no centro da vontade de Deus.
Jesus avisou aos Seus discípulos que esperassem perseguições à medida
em que obedecessem ao Pai. Ele lhes lembrou de que não passariam por
dificuldades sozinhos, porque o próprio Jesus também havia enfrentado
a hostilidade do mundo e tinha sido vitorioso (João 16:33)
Não fique desencorajado quando sofrer oposição. Pode ser que a
oposição seja uma indicação de que você está obedecendo a Deus.
Examine seu coração. Se você tiver feito o que você sabe que Ele lhe
mandou fazer, confie nele para lhe ajudar a atravessar o antagonismo
que vem daqueles que não estão andando com Ele.
Quando encontraram perseguição, os discípulos não pediram a Deus que
removesse seus oponentes, mas que lhes desse ousadia enquanto
enfrentavam oposição (Atos 4:24-31). Pode ser que a vontade de Deus
para você inclua dificuldades, assim como foi para Seu Filho (João
15:20), mas Ele lhe ama e não permitirá que você enfrente mais do que
você aguenta.

segunda-feira, março 05, 2012

Espírito Mau e o Espírito Santo

 E, chegando, acha-a varrida e adornada. Lucas 11:25 




Jesus declara a uma multidão de ouvintes que Ele expulsava demônios "pelo poder de Deus". Logo adiante, para evitar alguma interpretação que levasse as pessoas a serem abençoadas e não mudar de vida, Jesus conta uma parábola que termina dizendo: "Aí volta e encontra a casa varrida e arrumada.
(Lucas 11:25).
Na parábola, Jesus fala de uma pessoa que teve um demônio expulso de sua vida. Livre do sofrimento, aparentemente a tal pessoa não assumiu um compromisso com o poder de Deus, que a libertara. Ela achou que, com sua alma recuperada, não haveria nenhum preço a pagar espiritualmente. Pelo poder divino, ela teve sua "casa varrida e arrumada". Neste ponto, ao invés de colocar o Espírito de Deus como o morador permanente da sua casa, ela assumiu uma postura irresponsável. Ninguém é libertado pelo Senhor para continuar vivendo a escravidão do mal.

Tiago é bastante duro e definitivo: "a fé sem obras é morta". Paulo nos adverte, dizendo que fomos libertos, com o objetivo de obedecer a Cristo e de servi-lo. Na nossa vida cristã, nada é automático. O Senhor não nos obriga a amá-lo. Não amá-lo, porém, sempre implica no alto preço de ficar prisioneiros das tentações do Inimigo. Nossa casa, "varrida e arrumada" pelo Espírito Santo, é o primeiro passo para a jornada da santificação. A comunhão diária com nosso Cristo significa a porta fechada, impedindo a volta dos maus espíritos.


sábado, março 03, 2012

Benevolência do Cristão



Porquanto os pobres sempre os tendes convosco; 
a mim, pwww.radiogospelcovilha.comorém, nem sempre me tendes.
Mateus 26:11



Há pobreza econômica e há pobreza espiritual (Mat 5:3). Jesus
passava por um momento de profunda necessidade espiritual. Ele havia dado tudo que tinha e estava prestes a dar a única coisa que lhe restava - sua vida. Maria reconheceu isso e quis dar algo a ele. Jesus não ignorava a necessidade dos pobres. Haveria sempre oportunidade para serví-los, se alguém realmente quisesse. Mas a oportunidade de servir a Jesus estava prestes a acabar. Maria viu isso e agiu. Pensando em grandes necessidades distantes ou futuras, às vezes ignoramos as oportunidades bem na nossa frente.

Que Deus ajude-nos a enxergar os que estão próximos a nós e precisam
daquilo que já temos. Pode ser um pouco de atenção ou uma medida
mais extravagante de paciência ou misericórdia. O Senhor sabe o que
é. Que possamos ver o que o Senhor vê e a ter a convicção de agir -
agora e onde estamos. Em nome de Jesus.